Vídeo: voluntários de uma ONG salvam mulher que estava com a cabeça sendo devorada por vermes

0
339

Uma mulher de rua, da Índia, foi salva de uma morte dolorosa por voluntários de uma organização de caridade que a encontraram em estado lastimável. Preeti Devi, de 30 anos de idade, estava com cabeça sendo literalmente devorada por larvas de vermes.

A mulher foi encontrada à beira de uma estrada da cidade de Pharatpur, no Noroeste da Índia. Ela chorava copiosamente com o sofrimento das dores na cabeça e por estar abandonada à própria sorte.

A equipe da organização não governamental Apna Ghar chamou uma ambulância. Os voluntários a levaram imediatamente a um hospital local. A primeira providência da equipe médica foi a de cortar o cabelo da pobre mulher.

Sem o cabelo foi possível observar o estrago que os vermes já haviam provocado na cabeça de Preeti. De vários buracos no couro cabeludo saiam as larvas. Após a retirada de todos eles e de uma higienização completa, sua cabeça foi enfaixada e ela ficou internada por alguns dias antes de ir para o abrigo da ONG.

Vermes estavam devorando o couro cabeludo de Preeti, que estava cheio de buracos (Reprodução

Preeti passou cinco meses abrigada na Apna Ghar. Foi alimentada, ganhou roupas novas e se recuperou totalmente das lesões na cabeça.

“O que a Apna Ghar e seus voluntários fizeram por mim, ninguém faz por um estranho. Seu ato generoso restaurou minha fé na humanidade. Estava morrendo lentamente naquela estrada. Se esses anjos não me achassem e me alimentassem já estaria morta”, relatou a mulher.

Segundo as autoridades locais, Preeti estava assustada depois que ela foi atacada e fugiu de sua casa na cidade de Bihar, há cerca de seis meses. Ela estava morando nas ruas, em Pharatpur. A mulher contou disse que os vermes surgiram após feridas na cabeça, provocadas por um grupo de pessoas que a atacou.

“Eu pretendo voltar para casa e começar uma nova vida”, diz Preeti, que agora está pronta para voltar à sua cidade natal para um novo começo.

Preeti Devi já totalmente recuperada (Reprodução)

Caso no Brasil

O caso da mulher indiana fez lembrar o de uma menina, de 2 anos, que foi internada em outubro deste ano no Hospital Tricentenário, em Olinda, no Grande Recife. Ela também tinha uma infestação de larvas na cabeça. De acordo com o conselheiro tutelar local, que acompanhou a criança, a situação foi um típico caso de negligência. A mãe, de 21, levou a filha ao médico por causa de piolhos, mas não fez o tratamento indicado em casa.

A menina mora com a mãe em Jardim Atlântico, um bairro considerado de classe média. Na casa, ainda mora a família do marido da mãe, que é presidiário, segundo o Conselho Tutelar. Foi a sogra da mãe que notou as larvas e levou a criança para o hospital.

Segundo o diretor técnico da unidade de saúde, João Veiga, as larvas foram causadas por uma infestação de piolhos. “Foram tiradas todas as larvas e fizemos uma limpeza no local. Ela está tomando antibiótico por causa das feridas e das larvas”, disse.

O Conselho Tutelar de Olinda encaminhou o caso para o Ministério Público de Pernambuco e registrou um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Peixinhos, no município.

 

 

 

PUBLICIDADE