Ronaldinho Gaúcho será candidato a senador pelo partido de Bolsonaro

0
334

O colunista Lauro Jardim escreveu em sua prestigiada coluna, no jornal O Globo, que o pentacampeão mundial Ronaldinho Gaúcho vai se filiar ao PEN, partido do deputado federal Jair Bolsonaro que em breve vai mudar o nome para Patriota.

Segundo o colunista, que já escreveu na revista Veja, o craque será candidato ao Senado pelo estado de Minas Gerais em 2018. O ex-atacante Somália, com passagens por Fluminense e América Mineiro, deve ser seu suplente.

O jornalista informou que o acordo foi selado em uma conversa entre Ronaldinho e o vice-presidente do Patriota, Gutemberg Fonseca. Eles posaram para fotos juntos, no Rio de Janeiro, segurando a biografia de Bolsonaro.

A formalização da filiação deve ocorrer apenas em março, quando o próprio Bolsonaro vai aproveitar a janela partidária para trocar de legenda (atualmente o parlamentar está no PSC).

A expectativa do Patriota é “estrear’ na Câmara dos Deputados com uma bancada entre 15 e 25 deputados. O atual PEN tem hoje apenas três deputados e está na “lanterna” entre as 25 legendas com representação na Casa. Com o efeito Bolsonaro, o partido poderá ficar entre as dez maiores bancadas da Câmara.

A biografia de Ronaldinho Gaúcho

Ronaldinho Gaúcho (1980) é jogador de futebol brasileiro, considerado um dos maiores que o Brasil já teve. Foi pentacampeão pela seleção brasileira em 2002, na copa da Coréia do Sul e Japão. Foi considerado o melhor jogador do mundo por dois anos seguidos, pela FIFA: 2004 e 2005.

Ronaldo de Assis Moreira, nasceu no Rio Grande do Sul. Desde a infância, já revelava seu talento para o futebol, quando entrou para o Grêmio Football Porto-Alegrense com apenas 7 anos.

Ronaldinho Gaúcho começou sua carreira no futebol profissional em 1997. Em 1999, foi convocado para a seleção brasileira. Nesse ano, marcou 22 gols, que lhe deu maior visibilidade.

Em 2001, jogou pelo Paris Saint- Germain, time francês. Porém, teve problemas de extracampo quando ficou por 6 meses afastado por conta de uma briga jurídica.
Jogou na copa de 2002, no Japão e Coréia do Sul e foi penta campeão com a seleção treinada por Felipe Scolari, o Felipão. Nessa copa, foi um dos jogadores de maior destaque juntamente com Rivaldo e Ronaldo.

Em 2006, conquistou a liga dos campeões da Europa jogando no Barcelona e chegou ao auge de sua carreira. Mas seu declínio aconteceu nesse mesmo ano quando o time catalão perdeu o mundial de interclubes para o Internacional. Amargou sucessivas más atuações no Barcelona, até ser negociado pelo Milan, da Itália, onde teve atuação mediana inicialmente, melhorando no decorrer do tempo.

Em 2011 foi jogar no Flamengo, onde não conseguiu a mesma atuação de outrora. Em 2012, saiu do Flamengo em meio a muitas polêmicas. O jogador acionou o time carioca na justiça por atraso de salário. No mesmo ano, foi jogar no Atlético Mineiro, time de Minas Gerais.